ERMELINDA AZEVEDO PAZ ZANINI. Doutorado por Livre Docência em Percepção Musical pela UNIRIO. Professora Titular de Percepção Musical da UFRJ e Professora Adjunto IV de Percepção Musical da UNIRIO. Membro Titular da Academia Nacional de Música. Ocupou por concurso a vaga de Professor de Educação Artística - Música - do Município do Rio de Janeiro, sendo lotada na Escola Guatemala, primeiro Centro Experimental do INEP no Rio de Janeiro. Professora convidada de Percepção Musical em Encontros, Congressos, Seminários e Cursos de Férias. Realizou diversos cursos de pós-graduação na UNIRIO, na UFRJ e na Universidade Nacional de Rosário (Argentina), como bolsista da OEA. MBA em Planejamento e Gestão Estratégica na Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro e Altos Estudos de Política e Estratégia da Escola Superior de Guerra, em 2005.

Obteve três bolsas de Produtividade em Pesquisa do CNPq (http://lattes.cnpq.br/curriculumlattes2005512630643704).

Atualmente: Líder de pesquisa do grupo Música e Educação Brasileira/UFRJ/CNPq (dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0795713097970538).

Integrou o Programa de Pós-Graduação da UNIRIO (Mestrados: profissionais - acadêmicos e Doutorado) até Outubro de 2018.

Além da participação em congressos, encontros, seminários e cursos de férias, como conferencista, comunicante e/ou professora, desenvolve intensa e profícua atividade de pesquisa em música, tendo sido laureada nos concursos de monografias:

Sílvio Romero,

1983. Instituto Nacional de Folclore da FUNARTE - Menção Honrosa. Trabalho apresentado - As Pastorinhas de Realengo.
Comissão julgadora: Arthur Napoleão Figueiredo, Dante de Laytano, Noé Mendes de Oliveira, Peter Fry e Rubem Cesar Fernandes.

Villa-Lobos e a música popular brasileira,

1988. Museu Villa-Lobos/Pró-Memória / MinC-1º lugar. Trabalho apresentado – Villa-Lobos e a Música Popular Brasileira: uma visão sem preconceito.
Comissão julgadora: Luiz Paulo Sampaio, Maria Augusta Machado, Turíbio Santos e Valdinha Barbosa.

Villa-Lobos, sua vida e obra,

1988. Organização dos Estados Americanos (OEA) e Governo Brasileiro - 4º lugar.
Comissão julgadora: Robert Stevenson (EUA), Roberto Garcia Morillo (AR) e Vasco Mariz (BR).

Concurso Grandes Educadores Brasileiros,

1988. INEP / MEC. Monografia: “Villa-Lobos, o educador” - 3º lugar. Trabalho apresentado – Villa-Lobos, o educador.
Comissão julgadora: Elza Nascimento Alves, Juracy Cumegatto Marques, Lia de Freitas Garcia Fukui, Moacir Securi e Paulo Rosas.

Concurso Lúcio Rangel,

1989. FUNARTE. Monografia: “Jacob, um bandolim inesquecível” - 1º lugar.
Comissão julgadora: Ary Vasconcelos, Arthur de Oliveira Filho e Marília Trindade Barbosa.

Prêmio Carioca de Pesquisa Monográfica,

1995. Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro. Monografia: “Sôdade do Cordão” - Prêmio especial. Trabalho apresentado - Villa-Lobos, Sôdade do Cordão.
Comissão julgadora: Graça Salgado, Heloísa Buarque de Hollanda, Heloísa Frossard, Margareth da Silva Pereira e Renato Cordeiro Gomes.


Autora de:

LIVROS:

As Pastorinhas de Realengo. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 1987. (Esgotado)

500 Canções Brasileiras. Rio de Janeiro: Luiz Bogo Editor, 1989.

Villa-Lobos, o educador. In: Prêmio Grandes Educadores Brasileiros 1988. Brasília: INEP/MEC, 1989.

NOTA: Concorri ao Prêmio Grandes Educadores Brasileiros do INEP/MEC em 1988 e realizei a minha inscrição através de pseudônimo, pois era a regra do concurso. Em um envelope lacrado deveriam ser inseridos os dados do concorrente, tais como endereço, IDT, CPF etc. O INEP/MEC realizou a impressão do trabalho utilizando o nome de minha carteira de identidade à época (Ermelinda Azevedo Paz de Souza Barros), gerando um problema autoral pois esse não era o nome por mim utilizado em publicações.

As Estruturas Modais na Música Folclórica Brasileira. Rio de Janeiro: Cadernos Didáticos UFRJ nº 8, 1993 (1ª, 2ª e 3ª ed.).

Um Estudo sobre as Correntes Pedagógico-Musicais Brasileiras. Rio de Janeiro: Cadernos Didáticos UFRJ nº 11, 1993 (1ª ed.) e 1995 (2ª ed.).

Jacob do Bandolim. Rio de Janeiro: FUNARTE, Ministério da Cultura, 1997.

Villa-Lobos, Sôdade do Cordão. Rio de Janeiro: ELF editora, 2000.

Pedagogia Musical Brasileira no Século XX – Metodologias e Tendências. Brasília: Editora MusiMed, 2000.

O Modalismo na Música Brasileira. Brasília: Editora MusiMed, 2002.

Villa-Lobos e a Música Popular Brasileira. Uma Visão sem Preconceito. Rio de Janeiro: E. A. Paz, 2004.

• 500 Canções Brasileiras. 2 ed. Brasília - DF: MusiMed, 2010.

Edino Krieger – Crítico, Produtor Musical, Compositor. Rio de Janeiro: SESC Nacional, 2012. Vol. I e Vol. II.

Pedagogia Musical Brasileira no Século XX – Metodologias e Tendências. 2 ed. Brasília: Editora MusiMed, 2013.

500 Canções Brasileiras. 3. ed. Brasília – DF: MusiMed, 2015. Edição poliglota em português, espanhol, inglês e francês. 

Jacob do bandolim – uma biografia. EB Rio de Janeiro: Irmãos Vitale Editores, 2018.


ARTIGOS EM REVISTAS:

O folclore no processo de arte educação. In: Revista Brasileira de Música, Rio de Janeiro, Editora da UFRJ, v. XVIII, 1989. p. 138-146

Correntes pedagógico-musicais brasileiras - um estudo. In: Revista da Academia Nacional de Música, Rio de Janeiro, v. I, 1990. p. 51.

Villa-Lobos, cidadão das Américas. In: Revista da Academia Nacional de Música, Rio de Janeiro, v. II, 1991. 77 – 79.

Abdon Lyra, meu patrono. In: Revista da Academia Nacional de Música, Rio de Janeiro, v. III, 1992. 9–11.

O samba clássico de Villa-Lobos. In: Revista da Academia Nacional de Música, Rio de Janeiro, v. IV, 1993. 38–43.

Joanídia Sodré, as diversas facetas da primeira maestrina brasileira. In: Revista da Academia Nacional de Música, v. V, 1994. 7–20.

Jacob, um bandolim inesquecível. In: Revista Piracema, Rio de Janeiro, FUNARTE, v. IV, 1995. 81–87.

Villa-Lobos e o carnaval antigo - "Sodade do Cordão". In: Revista da Sociedade Brasileira de Música Contemporânea, Goiânia, ano 3, nº 03, 1996. 106–117.

Villa-Lobos o Educador. In: Revista da Sociedade Brasileira de Música Contemporânea, Goiânia, ano 4, nº 04, 1997. 46–70.

Globalização & Cultura. Apresentação In: Revista Interfaces Ano IV – nº 5 – Outubro de 1998. 5–6.

 • As Concentrações Orfeônicas e a presença de músicos populares. In: Revista Brasiliana n.3. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, set. 1999. 12–17.

O Modalismo e suas incursões no universo da criação Musical Brasileira. In: Revista da Academia Nacional de Música, volume 10. Rio de Janeiro: Academia Nacional de Música, 1999. 51–63.

A trajetória de Edino Krieger: o compositor, o crítico musical e o produtor musical. In: Anais do 1º Colóquio de Pesquisa da Pós-Graduação. Rio de Janeiro: Escola de Música da UFRJ, 1999. 141–146.

Paradigmas e Teorias: desafios permanentes. Apresentação In: Revista Interfaces Ano V – nº 6 – Dezembro de 1999. 5–8.

A interdisciplinaridade na literatura, nas letras, na arquitetura e nas artes. Apresentação In: Revista Interfaces Ano VI – nº 7 – Novembro de 2000. 5–8.

Edino Krieger: o compositor, o crítico musical e o produtor musical. In: Anais do 2º Colóquio de Pesquisa da Pós-Graduação. Rio de Janeiro: Escola de Música da UFRJ, 2001. 144–149.

Bienais de Música Brasileira Contemporânea. In: Anais do 3º Colóquio de Pesquisa da Pós-Graduação. Rio de Janeiro: Escola de Música da UFRJ, 2002. 205–211.

Música Folclórica e Educação. In: Anais do IX Congresso Brasileiro de Folclore. Porto Alegre: Comissão Nacional de Folclore e Comissão Gaúcha de Folclore, 2002. 161–168.

Diversidade cultural na arte, na educação e na cultura. In: Anais do Seminário Nacional de Arte e Educação. 16ª edição. Montenegro: Fundação Municipal de Artes de Montenegro, Rio Grande do Sul, 2002. 15–23.

Edino Krieger: O Compositor, o Crítico e o Produtor Musical. In: Revista da Academia Nacional de Música. Vol. XIII. Rio de Janeiro: Academia Nacional de Música, 2002, 181–190.

A Brasilidade na literatura, nas letras, na arquitetura e nas artes. Apresentação In: Revista Interfaces Ano VIII – nº 8 – Março de 2002. 5–8.

As bienais de música brasileira contemporânea. In: Anais do 4º Colóquio de Pesquisa. Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Música, 2004, 50–58.

Edino Krieger: um olhar sobre o ensino musical. In: Revista Interfaces, Ano 6, nº 9. dez. 2005. Rio de Janeiro: UFRJ/CLA, 2005, 99-108.

As Bases para um Projeto Educacional Capaz de Atender às Necessidades da População Brasileira. In: Revista da Escola Superior de Guerra, v. 24, nº 50 (jul/dez) 2008. Rio de Janeiro: ESG, 2008, 77 - 92.

A criação musical violinística sob a ótica das bienais de música brasileira contemporânea. In: Turíbio Santos. A arte do violão brasileiro. Chronos, nº 7 ano 4. Rio de Janeiro: UNIRIO, 2010, 29 - 39.

Música de tradição oral na Educação Musical. In: Presença de Villa-Lobos 14º volume – 100 anos de Arminda. Rio de Janeiro: Museu Villa-Lobos, 2012, 120 - 127.

Edino Krieger um compositor brasileiro. In: Arte SESC Cultura por toda parte. Rio Grande do Sul: SESC, 2013, 34 - 37.

Edino Krieger e as Bienais de Música Brasileira Contemporânea. In: Sonora Brasil I Circuito 2013 - 2014. Rio de Janeiro: SESC Nacional, 2013, 11 - 51.

Meus 50 Anos de Instituto Villa-Lobos. In: Instituto Villa-Lobos - 50 anos - Edição comemorativa. Rio de Janeiro: UNIRIO, 2017, 41 - 56.

O Modalismo na Música Brasileira: uma proposta em Educação Musical - relato de experiências. In: Revista da Academia Nacional de Musica - Volume XXI. Rio de Janeiro: Academia Nacional de Música, 2017-2018, 108 - 124.

    Seu acervo digital, doado ao Instituto Moreira Salles em 2013, é composto em sua quase totalidade por gravações de depoimentos recolhidos durante as pesquisas feitas para suas monografias, várias delas posteriormente publicadas em livros: Villa-Lobos, o educador; Villa-Lobos e a música popular brasileira; Jacob do Bandolim; Villa-Lobos, Sôdade do Cordão; O modalismo na música brasileira; Júlio Mattos, um campeão vendedor de sonhos (ainda inédito em livro); Pedagogia musical brasileira no Século XX: metodologias e tendências; e Edino Krieger: o crítico, o produtor musical e o compositor.


    Também fazem parte do acervo programas dos quais Ermelinda A. Paz participou como convidada (na Rádio MEC e em emissoras de televisão), além de transcrições de entrevistas (cujos áudios se perderam) e de DVDs contendo depoimentos (gravados em vídeo) de mestres de bateria de escolas de samba do Rio de Janeiro, colhidos para a pesquisa Os ritmos populares – Suas práticas nas baterias das escolas de samba e o ensino formal do ritmo na UNIRIO e na UFRJ. O acervo contém ainda todos os textos escritos por Edino Krieger entre 1950 e 1952, quando trabalhou como crítico de música do jornal carioca Tribuna da Imprensa.


Referências Bibliográficas:

Hodel, Brian. Ear Training for guitarists. Guitar Review nº 68, ano 1987, p. 1 a 6.

Mariz, Vasco. Heitor Villa-Lobos, compositor brasileiro. 11ª ed. 1989, p.105, 201 e 223.

Silva, Paulo Roberto Teles da. As Sonatas e Sonatinas Brasileiras para Flauta e Piano: Uma proposta de interpretação do material de temática • nacionalista baseada na interpretação do músico popular. Dissertação de Mestrado. Escola de Música da UFRJ. 1996.

Anjos, Alexandre Johnson dos. A busca do Nacional através do Modalismo Nordestino. Análise de duas peças para flauta transversal. Dissertação de Mestrado. Escola de Música da UFRJ. 1997.

CD-ROM Vida & Obra de Heitor Villa-Lobos. 1997.

Centro de Documentação de Música Contemporânea / UNICAMP. Organizadores: José Augusto Mannis e Lenita Waldige Mendes Nogueira. Musicon: guia da música contemporânea brasileira. 1998, p. 164.

Souza, Joaquim Fonseca de. Música Ritual e Inculturação. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção. São Paulo. 1999.

Mariz, Vasco. História da Música no Brasil. 5ª ed. 2000, p. 366.

Maior, Mário Souto. Dicionário de Folcloristas Brasileiros. 2ª ed. 2000, p. 75.

Comissão Nacional de Folclore / IBECC / UNESCO. Cadastro Nacional de Folcloristas. 2000, p. 32.

Academia Brasileira de Música. Bibliografia Musical Brasileira. 2000 www.abmusica.org.br.

Adolfo, Antonio. Música: leitura, conceitos, exercícios. 2ª ed. Rio de Janeiro: Lumiar Editora, 2002, p. 302.

Sobreira, Silvia. Desafinação Vocal. Rio de Janeiro: Edição da autora, 2002, p. 141, 145 e 189.

Who´s Who in the 21st Century. Second Edition. International Biographical Centre. Cambridge, England, 2003, p. 1050.

Verbete do Dicionário Cravo Albin da MPB.

Ciavatta, Lucas. O Passo. A pulsação e o ensino-aprendizagem de ritmos. Rio de Janeiro: L. Ciavatta, 2003.

Ciavatta, Lucas. O Passo. Um passo sobre as bases de ritmo e som. Rio de Janeiro: L. Ciavatta, 2009.


Participação em Programas de Rádio

• Rádio MEC - Programa Grandes Compositores BrasileirosTema: As Bienais de Música Brasileira Contemporânea, desde a sua criação em 1975 até 2005. Série de 10 programas, com duração de 60 min. cada. RJ, 2004.

• Rádio MEC - Programa Grandes Compositores Brasileiros – Tema: Edino Krieger, abordando suas atividades em prol da Cultura e da Música Brasileira em seus três vieses, a saber: o compositor, o crítico e o produtor musical. Série de 04 programas, com duração de 60 min. cada. RJ, 2004.

• Rádio MEC - Programa Grandes Compositores Brasileiros – Tema: Villa-Lobos e a Música Popular Brasileira, com importantes depoimentos, bem como com a audição de importantes obras do compositor, revisitadas pelos intérpretes populares. Série de 02 programas, com duração de 60 min. cada. RJ, 2004.

• Rádio MEC - Programa Grandes Compositores Brasileiros – Tema: O Modalismo na Música Brasileira. O tema foi abordado sobre a ótica da música: folclórica, popular, erudita e litúrgica, envolvendo apreciação musical de importantes obras de autores exponenciais. RJ, 2003.

• Rádio MEC – Programa Blim! Blem! Blom! - Tema: O Modalismo na Música Brasileira, com duração de 60 min. RJ, 29/12/2012.

• Rádio MEC – Programa Bate-Papo Ponto com de Cadú Freitas. Tema: Jacob do Bandolim: intérprete, compositor e pesquisador. Sobre o lançamento do EB Jacob do Bandolim – uma biografia pela Irmãos Vitale Editores. RJ, em 2/5/2018. Entrevista ao vivo. Duração 60’

• Rádio Nacional – Programa Ponto do Samba de Rubem Confeti. Tema: Jacob do Bandolim: intérprete, compositor e pesquisador. Sobre o lançamento do EB Jacob do Bandolim – uma biografia pela Irmãos Vitale Editores. Entrevista gravada em 30/4/18 e levada ao ar em 5/5/2018. Duração 60’. RJ.

• Rádio Nacional – Programa O amigo da madrugada de Adelzon Alves. Tema: Jacob do Bandolim: intérprete, compositor e pesquisador. Sobre o lançamento do EB Jacob do Bandolim – uma biografia pela Irmãos Vitale Editores. Entrevista por telefone na madrugada de 5/5/2018. RJ.

• Rádio Nacional – Programa Histórias do Frazão de Osmar Frazão. Todos os domingos de 8hs às 10hs. Tema: Jacob do Bandolim: intérprete, compositor e pesquisador. Sobre o lançamento do EB Jacob do Bandolim – uma biografia pela Irmãos Vitale Editores. Citada a biografia, bem como toda a produção da autora em todo o decorrer do programa. RJ, em 6/5/2018.


Atividades como Produtora Musical / Cultural

Universidade Federal do Rio de Janeiro

    • UFRJ - Projeto O Natal Musical Brasileiro na UFRJ – Encenação do auto As Pastorinhas de Realengo - 2003.

    • UFRJ - Projeto O Natal Musical Brasileiro na UFRJ – Encenação do auto Lapinha da Paraíba - 2004.


Escola Superior de Guerra

    Jornadas Culturais 2006

        • 1ª Jornada – (17/5/2006). O que é cultura; A preservação da arte antiga; História da Música Brasileira; Grupo Poesia             simplesmente e diversos espaços artísticos: música (solo e de câmera) e dança.

        • 2ª Jornada – (7/7/2006). A História das Artes Cênicas do Brasil através do cinema, do teatro e da televisão; A construção da             Modernidade na Pintura no Rio de Janeiro; e O paisagismo no Rio de Janeiro nos séculos XIX e XX. 

        • 3ª Jornada – (6/9/2006). Brasil solidário: Projeto de extensão da UFRJ na área de comunidades; Projeto Villa-Lobinho; Projeto de             extensão da UNIRIO na área de comunidades; e Programas sociais do Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de             Mangueira. 

        • 4ª Jornada – (26/10/2006). A importância da psicologia e o seu reflexo no dia-a-dia; e A importância do riso.


    Jornadas Culturais 2007

        • 1ª Jornada – (13/6/2007). Música Brasileira. O violão brasileiro e Heitor Villa-Lobos; O piano de Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga; e A             Música Brasileira como fio condutor do trabalho educacional da Escola de Música da Rocinha.

        • 2ª Jornada – (31/8/2007). Artes Plásticas, Teatro, Cinema e TV no Brasil. A construção da modernidade através de artistas no RJ; Paisagem             e suas interfaces; e Cenografia de teatro, cinema e TV entendida como técnica, arte e linguagem.

        • 3ª Jornada – (19/10/07). Literatura Brasileira. Literatura Popular: cordel; Confissões de um poeta; Língua, Cultura e Literatura; e Evocação             ao Recife: Manuel Bandeira: a Rosa, a Estrela e a Canção - Grupo Poesia Simplesmente.


    Jornadas Culturais 2008

        • 1ª Jornada – (11/4/08). A reforma do Museu D. João VI no Ano Joanino; D. João VI e a criação do Real Horto; e A Música Brasileira como fio             condutor do trabalho educacional da Escola de Música da Rocinha.

        • 2ª Jornada – (24/7/08). Vida e Obra de Cândido Portinari

        • 3ª Jornada – (22/8/08). A Música Brasileira para violão; O Teatro no RJ e a família Real; Machado de Assis: cem anos com e sem.


    Jornadas Culturais 2009

        • 1ª Jornada – (7/4/2009). Villa-Lobos o autodidata; O Cinema Nacional; História do Choro e Tributo a Valdir Azevedo.

        • 2ª Jornada – (5/6/2009). A memória dos sons do Brasil; A Literatura Brasileira; e Quarteto Carioca de Violões.

        • 3ª Jornada – (23/10/2009). Vida e Obra de Cândido Portinari; Grupo Poesia Simplesmente – Brasil à francesa: eterna sedução.


Condecorações e Distinções

• Condecorada com a Medalha Pedro Ernesto. Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Diário da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Em 17/08/2001, p. 33.

• Incluída no Who's Who in The 21st Century - 2nd Edition. 2002. International Biographical Centre. Cambridge, England.

Woman of Achievement Award 2002. International Biographical Centre. Cambridge, England.

• Condecorada com a Medalha do Mérito Marechal Cordeiro de Farias. Escola Superior de Guerra. Em 9/7/2009

• Condecorada com a Ordem do Mérito Aeronáutico. Comando da Aeronáutica. Em 23/10/2009

• Condecorada com a Medalha do Mérito da Defesa. Ministério da Defesa. Em 2/9/2010.


Atividades técnicas, de representação e administração universitária

• Chefe da Seção Técnica de Ensino e Pesquisa. Instituto Villa-Lobos. Uni-Rio.

• Representante dos professores assistentes no Conselho do Centro de Letras e Artes do Instituto Villa-Lobos da Uni-Rio.

• Chefe do Depto de Comunicação em Artes do Instituto Villa-Lobos da Uni-Rio.

• Coordenador dos Cursos de Música do Instituto Villa-Lobos da Uni-Rio.

• Membro do Comitê Científico da Uni-Rio.

• Representante dos Profs. Adjuntos na Congregação da Escola de Música da UFRJ.

• Representante do CLA no Conselho de Ensino de Graduação (CEG) da UFRJ.

• Coordenador de Graduação da Escola de Música da UFRJ.

• Coordenador do Projeto de Integração Acadêmica com o ensino de primeiro e segundo graus (na área de música) do Município do Rio de Janeiro.

• Membro avaliador do Primeiro Projeto de Reconstrução da Graduação da UFRJ (PRORECON) – indicada pelo CEG.

• Membro do Conselho Editorial da Revista INTERFACES do CLA. UFRJ.

• Membro da Comissão de Pós-Graduação da Escola de Música da UFRJ.

• Coordenador de Pós-Graduação do CLA da UFRJ. (10/1/1998 a 12/7/2002).

• Editor-chefe da Revista Interfaces do CLA/UFRJ. (10/1/1998 a 12/7/2002).

• Representante dos professores titulares do CLA/UFRJ no CONSUNI (suplente - 10/1/1998 a 12/7/2002).

• Membro do Comitê Editorial do PROMADI da Sr-1 / UFRJ.

• Representante dos professores titulares do CLA/UFRJ no CONSUNI (titular – 2002 a 2005).

• Membro do Conselho Administrativo da Fundação José Bonifácio. Biênios17/12/2003 a 17/12/2005 e 17/12/2005 a 17/12/2007.

• Coordenadora da Divisão de Assuntos Psicossociais da Escola Superior de Guerra. (abr. 2007 / dez.2009).

• Coordenadora do Curso de Licenciatura em Música da Escola de Música da UFRJ. (abr. 2010 a dez. 2011)


Trabalho voluntário em projetos de inclusão social

• NAPEC/FIOCRUZ – out. 2013 a 11/6/2015.

• Ação social pela música – jul. a dez. de 2016. Núcleo Dona Martha.

• Fundação Romão Duarte – março a julho de 2013.


Repercussão do trabalho

• Max Riccio. O violão entrou na roda. Um guia prático para principiantes. Rio de Janeiro: Irmãos Vitale, 2018.

• Keeyth Vianna. O aprendiz de violino. As aventuras musicais de aipim. Brasília, DF: Musimed, 2017.

• Orquestra Brasileira de São Salvador. Música na escola. Conceitos,

    • Música na escola: exercício 6. Menino, vá dormir

    • Música na escola: exercício 10. Pobre barqueiro

    • Música na escola: exercício 8. Romance do Antoninho

    • Música na escola: exercício 13. Boiadêro

    • Música na escola: exercício 7. Roda

    • Música na escola: exercício 15. Que casa é essa

    • Música na escola: exercício 11. Sodade

    • Música na escola: exercício 2. Boi-Bumbá Dona maria Tereza

    • Música na escola: exercício 3. Boi-Bumbá Adeus Princesa

    • Música na escola: exercício 4. Lundu do tropeiro

© Copyright 2019 - Ermelinda Azevedo Paz Zanini | bITs Tech Solutions - All Rights Reserved